Como Fazer Gráts

Fazer e Entender Tudo Gratuitamente.

q
img

Estados Gerais – Assembléia dos, Resumo, O que foi.

/
/
/
39 Views
q

O que eram os estados gerais

Rei Luís XVI por Callet estados gerais Estados Gerais – Assembléia dos, Resumo, O que foi. Rei Lu  s XVI por Callet 133x300
O rei Luís XVI retratado por Callet. Repare em suas roupas luxuosas e na feição, que mistura orgulho e tolice.

 

Os estados gerais: Oficialmente, a sociedade francesa esta­va dividida em três Estados (também cha­mados de estamentos ou ordens). O Pri­meiro Estado era composto pelos mem­bros do alto clero, que ocupavam os altos postos na hierarquia da Igreja: os bispos e abades. Pertenciam às tradicionais famílias de nobres. O Segundo Estado era formado pelos nobres. A grande maioria da popula­ção integrava o Terceiro Estado: burgueses (grandes comerciantes, banqueiros, proprie­tários de manufaturas e companhias de na­vegação), a pequena burguesia (espécie de classe média da época, composta por donos de pequenos estabelecimentos, advogados, médicos, jornalistas, funcionários públicos de escalão inferior), camponeses, sans-cu- lottes e até humildes padres de paróquia, tão pobres quanto seus fiéis.

Você reparou como essa divisão corres­ponde à velha noção medieval da socieda­de, dividida entre os que “oram”, os que “guerreiam” e os que “trabalham”? Dá para perceber que o Antigo Regime francês era um bocado arcaico!

O Primeiro e o Segundo Estado (alto cle­ro e nobreza) eram os privilegiados. Não pagavam impostos e possuíam importantes cargos no Estado. Para eles, havia leis e tri­bunais especiais.

No Terceiro Estado encontravam-se todas as classes sociais oprimidas pelo Antigo Regime. Desde os ricos burgueses até os famintos camponeses.

O que foi a assembléia dos estados gerais

Em maio de 1789 (nada de decorar da­tas!) foi aberta a Assembléia dos Estados Gerais. Ela reunia perto de 900

Assémbléia dos Estados Gerais estados gerais Estados Gerais – Assembléia dos, Resumo, O que foi. Ass  mbl  ia dos Estados Gerais 300x94
Os deputados
do Terceiro
Estado decidem
elaborar uma
constituição.
O absolutismo
estava com
os dias contados.
O rei também
deveria
obedecer à lei

deputados, que eram os representantes escolhidos pelos três Estados. Os deputados do Terceiro Estado foram indicados por uma eleição que favorecia os abastados. Nenhum camponês ou artesão estava presente. O grosso era formado por membros da burguesia, advogados, jornalistas. Apesar disso, naquele momento os deputados burgueses representavam a maioria da nação francesa, que não suportava a tirania da nobreza e do absolutismo.

Note um aspecto importante: essa assembléia não era um Parlamento. Os deputados não tinham nenhum direito de fazer leis ou de dar ordens ao rei. Afinal de contas, a França  permanecia absolutista! A função da Assembléia dos Estados Gerais era meramente consultiva. Isso quer dizer que os deputados deveriam fazer uma sugestão para resolver a crise financeira do Estado. O rei ouviria as recomendações da Assembléia, mas não tinha nenhuma obrigação de segui- las… Bem, era nisso que o rei e seus ministros acreditavam. Nem imaginavam que, em apenas algumas semanas, já não teriam o controle sobre o país.

Logo nas primeiras reuniões da Assembléia ficou claro que a nobreza era intransigente. Não queria saber de pagar impostos nem de perder seus privilégios feudais. Os nobres chegaram ao absurdo de propor que o Terceiro Estado pagasse mais impostos ainda!

  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
  • Linkedin
  • Pinterest

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

It is main inner container footer text